1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem avaliações)
Loading...

Reforma da Previdência – Bancários de SP param em ato de protesto

A Reforma da Previdência está se aproximando de mais uma data de votação e com isso o Brasil tem registrado várias manifestações no início dessa semana. Ainda que muitos deputados tenham alegado que acham difícil da votação ocorrer no dia 28, devido ao grande número de votos contra, o povo brasileiro não descansa e quer continuar mostrando ao governo a sua insatisfação com a proposta e todas as mudanças.

Em São Paulo e Osasco o sindicato dos bancários paralisou durante um dia nessa segunda-feira contra a Reforma. Mais informações você encontra a seguir

Paralisação nos bancos em SP e Osasco

Sindicatos bancários de São Paulo e Osasco realizaram na segunda-feira uma paralisação para manifestar o descontentamento com a Reforma da Previdência. A manifestação ocorreu às 16 horas na Avenida Paulista, juntamente com diversos outros manifestantes e professores.

O protesto teve como intuito fechar agências em São Paulo, tanto públicas quanto privadas. Com isso, a FEBRABAN – Federação Nacional dos Brancos – orientou seus clientes a realizarem seus serviços bancários em caixas ou meios eletrônicos, se fosse possível. A paralisação dos bancários foi votada em assembleias realizadas ainda em fevereiro, onde mais de 80% dos presentes votaram a favor da manifestação.

Municípios afetados pela paralisação dos bancários

Diversos municípios da Grande São Paulo foram atingidos com o fechamento das agências bancárias na segunda-feira, entre eles: Barueri, Carapicuíba, Caucaia do Alto, Cotia, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, São Lourenço da Serra, Vargem Grande Paulista, Embu-Guaçu, Pirapora do Bom Jesus, Taboão da Serra, Itapevi, Jandira, Osasco, Santana do Parnaíba e Juquitiba.

Na terça-feira todas as agências já estavam funcionando normalmente e não houve nenhum incidente durante os manifestados.

Se aposente o quanto antes

A Reforma da Previdência não poderá ser votada enquanto a intervenção militar no Rio de Janeiro continuar, portanto você ainda tem um tempo para solicitar sua aposentadoria. Todos aqueles que já forem aposentados ou que cumprirem os requisitos para solicitar a aposentadoria até a aprovação da proposta, não serão afetados pelas mudanças.

Por isso se você já preencheu todos os requisitos, compareça o mais rápido possível em uma agência do INSS com todos os documentos necessários e dê entrada na solicitação. Aqueles que ainda falta muito tempo para preencher os requisitos, provavelmente serão afetados pela reforma e ainda terão que continuar contribuindo pelo tempo adicional que lhe for dado.

O que a intervenção militar no Rio de Janeiro interfere na Reforma

A intervenção militar no Rio de Janeiro é uma emenda que impede que haja mudanças na Constituição. Ou seja, enquanto a intervenção militar estiver acontecendo no estado, a Reforma não poderá ser votada. A intervenção possui duração de um ano ou poderá terminar antes caso o motivo que levou-a iniciar termine, como a violência na região.

Por isso muitos alegam que a Reforma não será votada agora e sim no ano que vem, após as eleições. Entretanto, o presidente Michel Temer falou que fará cessar a intervenção militar quando o Congresso estiver pronto para votar. Alguns governantes estão entrando com uma ação para impedir que isso seja feito pelo presidente, pois alegam que vai contra tudo que está na Constituição, além de ser imprudente e poder colocar a população em risco.

Não saberemos o que acontecerá nos próximos meses, por isso só nos resta aguardar e ver o que acontecerá de fato. Em breve mais novidades sobre a Reforma e a intervenção militar devem ser liberadas, juntamente com novas informações. Fique de olho nos noticiários e sites importantes para não perder nada do que acontece em nosso país.

 

Recomendados para você: