1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

14 Mudanças Trabalhistas que Você deve Conferir!

As mudanças trabalhistas que estão sendo muito faladas atualmente estão fazendo com que muitos trabalhadores se revoltem contra o governo, mas não é para menos. Muitas das mudanças podem trazer grandes prejuízos à população brasileira, sem falar naquelas que poucas pessoas sabem.

Veja também: Pensão Alimentícia. Estudante, Maioridade e Cálculo

Algumas mudanças previstas na reforma trabalhista não são muito faladas, mas ainda assim são de extrema importância. A seguir, nós falaremos sobre elas para que todos fiquem cientes do que está por vir.

mudanças trabalhistas

mudanças trabalhistas

A Reforma Trabalhista que o governo quer impor pode causar grandes mudanças na CLT, por isso é fundamental que todos os trabalhadores estejam cientes do que acontecerá caso a proposta seja aprovada no Senado.

Confira algumas das mudanças trabalhistas

Uma das principais mudanças envolve a ajuda de custo. Acontece que todos os benefícios integrados nessa categoria, como diária para viagem e abonos, valores de assistência médica ou odontológica e todos os valores relativos a prêmios, não integrarão mais o salário recebido pelo trabalhador.

Veja também: Aposentadoria Especial Insalubridade

Outra mudança envolve a equiparação salarial: isso ficará mais difícil, pois o requisito que atualmente é de ‘mesma localidade’, passará a ser de ‘mesmo estabelecimento empresarial’, devendo ser prestado para o ‘mesmo empregador’. Por isso as chances de solicitar a equiparação irão diminuir.

Mudanças relacionados à demissão do funcionário

A nova reforma também prevê mudanças relacionados à demissão dos funcionários. As demissões em massa, também chamadas de demissões coletivas, não precisarão ser aprovadas pelo sindicato para acontecer. Outra mudança é que os funcionários que aderirem ao plano de demissão voluntária não poderão, posteriormente, reclamar sobre seus direitos.

Também foi criada uma nova opção envolvendo a demissão por justa causa. A nova opção fala que todos os empregados que precisarem da habilitação profissional para preencher o cargo, e acabarem perdendo-a, podem ser demitidos por justa causa. Exemplos são motoristas, taxistas, médicos, entre outros.

Mudanças sobre negociações entre empregadores e trabalhadores

Se a reforma for aprovada, toda a jornada de trabalho e os intervalos poderão ser negociados diretamente com o empregador. Há também uma mudança relativa às negociações realizadas por sindicatos ou empregadores: todas as previsões deixam de ser válidas após a validade da norma, podendo voltar a ser aplicadas com uma nova negociação.

Você já ouviu falar na contribuição sindical? Pois bem, ela deixará de ser obrigatória e se tornará facultativa, para empregadores e trabalhadores.

Veja também: Data de Pagamento do INSS

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Outras mudanças da Reforma Trabalhista que você precisa saber

Além dessas mudanças mencionadas, ainda há outras que devem entrar em vigor e mudar a rotina de trabalho para muitos. Por exemplo, com a reforma, a arbitragem poderá ser usada para resolver conflitos trabalhistas, mas somente quando o salário do empregado é igual a duas vezes o limite máximo estipulado pela Previdência.

Veja também: Aposentadoria e Previdência – Consulta INSS 2017

Agora o Acordo Coletivo irá prevalecer sobre a Convenção Coletiva, não somente em condições específicas, como acontece atualmente.

Além disso, a parte que perder o processo judicial deve pagar honorários à parte que ganhar, de 5% a 15%, de acordo com o valor do processo. Também há mudança sobre a gratificação para aqueles com cargo de confiança: aqueles que estão no cargo por mais de 10 anos não receberão integração.

14 Mudanças Trabalhistas na CLT

– Mudança de requisito para solicitar equiparação salarial;

– Ajuda de custo não fará parte do salário;

– Não haverá mais gratificação integrada ao salário de cargo de confiança após 10 anos;

– Empregados com mais de um ano de serviço não precisarão mais da homologação de rescisão pelo sindicato;

– As demissões coletivas podem ser feitas diretamente pela empresa;

– Aqueles que aderirem ao plano de demissão voluntária não poderão reclamar sobre seus direitos;

– A perda de habilitação profissional levará a demissão por justa causa;

– Será possível efetuar um acordo onde, em caso de demissão, o empregado irá receber metade do aviso prévio em forma de dinheiro;

– Empregados que recebam duas vezes mais do que o limite estabelecido nos benefícios da Previdência Social podem usar da arbitragem para resolver conflitos no ambiente de trabalho;

– Contribuição sindical passa a ser facultativa;

– As jornadas de trabalho e o tempo dos intervalos poderá ser negociada diretamente entre o empregador e o trabalhador;

– Negociações não irão valer depois do prazo de validade;

– O Acordo Coletivo prevalecerá sobre a Convenção Coletiva;

– A parte que perder uma ação terá que pagar honorários à parte que ganhou, variando de 5% a 15% do valor total do processo.

 

Recomendados para você: